A APAIXONANTE DIVERSIDADE DO BAIRRO ALTO


Fotos: Pedro Carapinha
Fotos: Pedro Carapinha

Há sete anos, o jornalista caxiense Emílio Caio Ferraso decidiu vender praticamente tudo o que tinha, inclusive sua preciosa coleção de DVD’s (ele é vidrado na sétima arte), para morar em Portugal. Seu objetivo era fazer mestrado em Televisão e Cinema. A escolha por Lisboa foi feita em função da facilidade do idioma e pelo fator decisivo da segurança da cidade.


“São muitos os motivos que me fizeram permanecer em Lisboa. Destaco o fato de ser uma cidade cool, cheia de atrações para todos os gostos, com muita cultura, arte e gastronomia. Além disso, tem gente de todo o mundo, o que faz com que a miscelânea de culturas enriqueça a experiência de viver numa cidade tão moderna. Quanto às pessoas, o português é simpático, mas de início, não dá muita abertura. Só que quando se conquista a confiança, se tem amigos para a vida toda”.

Fotos: Pedro Carapinha
Fotos: Pedro Carapinha

Além do cinema, outra paixão deste escorpiano é o frio. Em Lisboa, o clima é ameno. Emílio confessa que gostaria que fosse, digamos assim, mais gelado. Segundo ele, é uma cidade de muito sol e muita luz. A vantagem é que Portugal é um país pequeno, portanto, se o jornalista quer neve, basta ir para o Norte. Se quer praias paradisíacas, o destino é o Sul.


“O país tem zonas lindas como o Alentejo e suas vastas planícies douradas, o Douro e suas montanhas repletas de vinhas, a Serra da Estrela no centro do país, enfim...Por ser tudo perto, há diversidade de paisagens, de pessoas, de gastronomia e de cultura”.

Em Lisboa, Emílio trocou a comunicação pelo turismo. Com seu amigo português Pedro Carapinha, criou no final de 2018 a Portugal Afora, empresa que faz tours pelo país a bordo de um carro confortável para atender da melhor forma possível os clientes. Desde que eles iniciaram o negócio, já conduziram mais de 300 pessoas, a maioria brasileiros.


“Aproveitando que Portugal está na moda, optamos por fazer coisas diferentes que têm agradado muito nossos clientes. Temos roteiros definidos, onde a pessoa tem liberdade para ficar mais ou menos tempo em determinado lugar, decidindo ela própria o que fará no seu dia, de acordo com o trajeto escolhido. Outro diferencial é que ambos somos jornalistas, com facilidade de comunicação e conhecimento sobre os lugares que visitamos. Nossa proposta integra o conhecimento de um português e de um brasileiro apaixonado por Portugal”.

O Bairro Alto é um dos lugares prediletos de Emílio. Erguido em uma das famosas sete colinas da capital portuguesa, a região é repleta de bares, restaurantes, botecos e lojas dos quatro cantos do mundo. Há muita diversidade.


“O Bairro Alto se frequenta de dia e de noite, com destaque para a sua arquitetura, as roupas dos moradores penduradas nas janelas e sacadas, a decoração das ruas. É um lugar que tem vida nos sete dias da semana, em alguns dias é mais movimentado, em outros menos, mas sempre está em atividade. Não há um lugar favorito. Depende do dia e do objetivo: jantar, happy hour ou apenas caminhar pelo bairro. Conhecer um bar cubano ou irlandês? Não importa. O que vale é o encontro com amigos depois de um dia de trabalho”.

17 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo