FEVEREIRO ROXO

Uma das campanhas que o mês de fevereiro possui, é a de conscientização de doenças crônicas que não possuem cura, dentre elas a fibromialgia, lúpus e Alzheimer. Criado em 2014 em Uberlândia em Minas Gerais, o fevereiro roxo possui o seguinte lema: "Se não houver cura, que ao menos haja conforto". A importância desta campanha gira em torno do diagnóstico precoce, para que seja mais fácil retardar ou diminuir os sintomas das doenças, que afetam a qualidade de vida do paciente.

Foto/Reprodução Freepik

Hoje, convidamos o neurologista e neurocirurgião Carlos Ordovás para falar um pouco sobre a doença de Alzheimer. Geralmente a doença é vista em pessoas de idade avançada, ela também pode se manifestar mais cedo, e dentre os principais sintomas está a perda de memória recente. No Brasil, estudos indicam que há cerca de 1,6 milhões de pacientes com esta doença.


E: Há quanto tempo você atua como neurologista?

C: Há 26 anos.


E: Por que escolheu esta especialidade?

C: Estudar o sistema nervoso sempre despertou-me interesse, a sua fisiologia sua complexidade.


E: O fevereiro roxo é um mês de atenção para doenças como o Alzheimer. Esta doença é um caso recorrente entre seus pacientes?

C: Sim, é a doença de Alzheimer é a causa mais frequente das doenças que causa e perda progressiva da memória, raciocínio lógico, reconhecimento de pessoas ou lugares.


E: Quais os principais sintomas do Alzheimer?

C: Há uma perda da memória, especialmente para eventos recentes, e raciocínio, interferindo de forma progressiva na linguagem comportamento e na capacidade de realizar aquelas atividades que habitualmente realizava. A doença de Alzheimer é progressiva.


E: Como uma pessoa pode descobrir a doença?

C: De forma geral os familiares é que percebem a alteração do comportamento, ou da memória.


E: Existe algum tipo de cura ou prevenção?

C: A forma de prevenção é manter uma atividade física regular, desenvolver a atividade cognitiva e memória, como leituras, jogos, aprender algo novo como tocar um instrumento musical, por exemplo.


E: Somente pessoas específicas podem desenvolver o Alzheimer ou qualquer pessoa pode?

C: Não, qualquer pessoa está sujeita a desenvolver a doença.


E: Dentre as diversas doenças neurológicas, existe alguma que você se depara com mais frequência no dia a dia quando atende?

C: A cefaléia é a queixa mais frequente em um consultório neurológico.


E: Você acredita que houve um aumento de casos de doenças que afetam o cérebro? Se sim, por quê?

C: O aumento do numero das doenças neurológicas está associado ao aumento da expectativa de vida, aumentando o numero de doenças degenerativas e acidentes vasculares cerebrais.


E: No que as doenças neurológicas podem afetar no dia a dia de uma pessoa?

C: Doenças neurológicas interferem em varias áreas, como visão, audição, motricidade, linguagem, etc. Pode comprometer como uma cefaléia ou até doença que deixam o indivíduo com total dependência de um cuidador.


E: Qual conselho você daria para quem quer evitar doenças como Parkinson ou Alzheimer?

C: Cuidar das doenças como hipertensão arterial, diabetes. Manter atividade física, atividades de laser como leitura, jogos, dança, procurar sempre manter uma atividade que estimule a aprender algo novo, como tocar um instrumento musical, pintura, etc.

Dr. Carlos Alberto Ordovás.

Realize sempre os exames de rotina, e mantenha sua mente funcionando! Cuide-se!

33 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo